Junior comenta apoio de Chitãozinho a Bolsonaro: ‘Toda família tem um tiozão do Zap’ | Música

“Novos estudos apontam: Toda família tem um tiozão do Zap”, afirmou o produtor e sobrinho de Chitãozinho.

Os cantores Gusttavo Lima, Leonardo, Zezé Di Camargo (da dupla com Luciano), Fernando (da dupla com Sorocaba), George Henrique (da dupla com Rodrigo) e Sula Miranda também compareceram ao Palácio da Alvorada.

Xororó, pai de Sandy e Junior, não estava no encontro.

Junior se manifesta sobre eleições no Instagram e brinca que ‘toda família tem um tiozão do zap’. — Foto: Reprodução/Instagram/junior_oficial

‘Escolho caminho diferente’

Lucas, Sandy e Junior mostram comprovantes após vacinação contra Covid-19 em Campinas (SP) — Foto: Reprodução

Antes de soltar a indireta para o tio nos Stories, o músico e produtor também publicou um texto sobre a escolha de voto nessas eleições.

“Votar é um ato de muita responsabilidade, porque não se vota pensando em si mesmo somente, mas coletivamente. E para isso é preciso mais consciência, mais aprofundamento na realidade de todos”, afirmou ele.

“Por ter, pessoalmente, feito cada vez mais essa busca, sou contra o governo atual e escolho um caminho diferente do que vi nos últimos 4 anos. E faço isso, mesmo em um cenário de escolha muito distante do que enxergo como ideal, mas consciente de que é preciso mudar.”

João Guilherme (à esquerda), ao lado do pai, Leonardo, e do irmão, Zé Felipe (à direita) — Foto: Reprodução / Instagram

O mesmo encontro dos sertanejos rendeu outro atrito público de outra família famosa. João Guilherme, filho de Leonardo, se posicionou contra o apoio do pai ao atual presidente.

“Hoje tô triste. Sei bem e a influência do meu pai, ele é gigante, querido por tantos… Mas joga no time errado e está cego. Diante de todos os últimos escândalos envolvendo o atual mandatário ver alguém tão importante pra mim declarar apoio dessa forma me enoja”, escreveu o ator e cantor no Twitter.

“É tanta ignorância que nem sei. É como se eu não tivesse minhas duas irmãs mais velhas que já tiveram 14, 15 anos… ou minhas sobrinhas. Como se todas as mortes ligadas ao pouco caso do Governo perante a ciência e a vacinação fossem um só um delírio. Peço desculpas pela falta de educação e de sensibilidade do meu Pai. Eu amo ele, por isso peço perdão”, continuou João Guilherme.

VÍDEOS: mais assistidos do g1

Fonte

Compartilhe:

inscreva-se

Junte-se a 2 outros assinantes